Empresa Edições on-line Fale Conosco
Edição 91
Busca::..
Edição 93
Edição 92
Edição 91
Edição 90
Edição 89
Edição 88
Edição 87
Edição 86
Edição 85
Edição 84
Edição 83
Edição 82
Edição 81
Edição 80
Edição 79
Edição 78
Edição 77
Edição 76
Edição 75
Edição 74
Edição 73
Edição 72
Edição 71
Edição 70
Edição 69
Edição 68
Edição 67
Edição 66
Edição 65
Edição 64
Edição 63
Edição 62
Edição 61
Edição 60
Edição 59
Edição 58
Edição 57
Edição 56
Edição 55
Edição 54
Edição 53
Edição 52
Edição 51
Edição 50
Edição 49
Edição 48
Edição 47
Edição 46
Edição 45
Edição 44
Edição 43
Edição 42
Edição 41
Edição 40
Edição 39
Edição 38
Edição 37
Edição 36
Edição 35
Edição 34
Edição 33
Edição 32
Edição 31
Edição 30
Edição 29
Edição 28
Edição 27
Edição 26
Edição 25
Edição 24
Edição 23
Ediçao 22
Edição 21
Edição 20
Edição 19
Edição 18
Edição 17
Edição 16
Edição 15
Edição 14
Edição 13
Edição 12
Edição 11
Edição 10
Edição 09
Edição 08
Edição 07
Edição 06
Edição 05
Edição 04
Edição 03
Edição 02
Edição 01
empresa
contato
Europa News
09/03/2022 04h45

 Europa News

Escassez de semicondutores afeta operações da Bulten

A empresa relatou queda em seus volumes em vendas líquidas no terceiro trimestre (Q3) de 2021

Durante o Q3 de 2021 a Bulten AB registrou vendas líquidas na casa de SEK 764 milhões (em francos suíços, o equivalente a US$ 831,27 milhões). Esse volume aponta queda de 10,5% comparado ao Q3 de 2020. Pedidos e reservas totalizaram SEK 830 milhões, queda de 37,2% comparado ao Q3 de 2020.

Presidente e CEO da Bulten, Anders Nyström comentou: "A escassez de semicondutores, que tem impactado a indústria automotiva global desde o Q2 de 2021, foi um obstáculo ainda maior durante o Q3. Muitas unidades produtivas de nossos clientes tiveram reduções e paralizações em alguns períodos. Isso gerou uma queda nas vendas entre 25% e 30% durante o Q3. Demandas subjacentes no estágio do consumidor estão forte, mas a produção não acompanha essa demanda.”

Anders continua: “Volumes reduzidos e menor utilização da capacidade produtiva no Q3 apontam que tivemos que adotar desacelerações para reduzir nosso estoque, o que impacta negativamente nos lucros de curto prazo. A falta de semicondutores somado as altas dos preços do aço são fatores externos macroeconômicos e parcialmente geopolíticos que devem continuar afetando nossas vendas e margens até o final de 2021. No longo prazo, o crescimento e os ganhos da Bulten ainda estão muito bons. Com a entrada de novos clientes além dos já existentes, dentro e fora do setor automotivo, nunca foi tão forte como até agora em 2021”.

Esses novos contratos incluem a assinatura de um acordo estrategicamente importante na China, relativo ao fornecimento de fixadores para um fornecedor líder de produtos eletrônicos de consumo. O contrato tem um valor anual estimado de aproximadamente SEK 50 milhões. As entregas começaram em meados do Q4. Bulten também reforçou um contrato FSP (Full Service Provider) para o fornecimento de fixadores com um novo pedido de um fabricante automotivo europeu. O pedido vale aproximadamente SEK 68 milhões por ano. As entregas devem começar no Q4 de 2021, e atingirão o ritmo total em 2022, com duração de três anos.

Finalmente, Bulten também obteve um novo contrato FSP por um fabricante automotivo europeu, para fornecer fixadores para um programa de veículos elétricos em desevolvimento. O valor do pedido orbita em SEK 220 milhões por ano, em plena produção. As entregas deverão começar no Q3 de 2022, atingindo seu ritmo máximo em 2025. “Podemos ver que as medidas que tomamos como parte de nossa estratégia 'Stronger 24' estão produzindo resultados, tanto em novos negócios quanto na produtividade, e continuamos a lançar a estratégia para construir uma Bulten ainda mais forte”, conclui Anders.

ARaymond adquire a Castello Italia S.p.A.

A empresa italiana é especializada na produção de tubos para o mercado pneumático e industrial

Originária de Grenoble, França, a ARaymond anunciou a aquisição da Castello Italia SpA, fabricante de tubos para o mercado pneumático industrial. Essa compra ampliará o portfólio da ARaymond, especialmente no mercado de caminhões, além de abrir oportunidades em outros setores industriais.

“Com muito prazer, anunciamos essa aquisição, o que reforça e complementa nossas opções em produtos. Como se sabe, o futuro será dos veículos elétricos e autônomos, o que nos leva a crer firmemente que devemos participar ativamente na mobilidade do futuro, atendendo às novas e desafi adoras demandas das montadoras”, disse Antoine Raymond, CEO em ARaymond.

“Fundada em 1865, a ARaymond é uma fornecedora líder e inovadora em conexões rápidas (QCs), bicos e demais itens de fixação, principalmente em sistemas que usam fluidos. Todos os dias nos esforçamos para nos reinventar continuamente, para estarmos à frente das mudanças tecnológicas”, disse o CEO.

Com mais de sete mil colaboradores divididos entre 25 países, incluindo o Brasil, a empresa ser orgulha por colocar os valores humanos no centro de seu sucesso.

Böllhoff adquire a marca Helicoil

O negócio foi concretizado em 01 de outubro de 2021

Sediada em Bielefeld, Alemanha, o Grupo Böllhoff adquiriu a Helicoil, marca detida pela Stanley Engineered Fastening (Stanley EF), de New Britain, Connecticut, EUA, empresa subsidiária da Stanley Black & Decker. Essa transação permitirá que cada empresa realinhe seus recursos com iniciativas estratégicas independentes.

Como parte da transação, a Böllhoff licenciará a marca para a Stanley EF dentro da América do Norte, permitindo a ela atuar no campo de reparos automotivos e aplicações não automotivas. Nessa mesma região as aplicações automotivas OEM para o Helicoil e inserções de rosca de arame serão atendidas diretamente pela Böllhoff, que também cuidará dos demais mercados globais em todas as áreas.

Tanto a Böllhoff quanto a Stanley EF são fabricantes especializados em fixadores, e que atendem os mercados automotivo, industrial e aeroespacial. Ambas têm uma história de 70 anos de parceria na linha Helicoil, bem como em outras marcas registradas e associadas. Durante essa trajetória juntos eles estabeleceram acordos de licenciamentos bem-sucedidos para desenvolver mercados e produtos que atendam clientes em todo o mundo. 

COMPARTILHE
CONTEÚDO DA EDIÇÃO

TAGS:
revistadoparafuso@revistadoparafuso.com